A inflação e você

Como a inflação interfere na sua vida

Eu, você e os demais somos consumidores e continuaremos sendo. É por isso que a inflação é e sempre será crescente ao longo do tempo. A elevação dos preços pode gerar perda no poder de compra, que é o valor do dinheiro hoje em relação ao que consumimos hoje. A perda do poder de compra significa que precisaremos de mais dinheiro para manter o mesmo padrão de consumo. O aumento do custo de vida gerado pela inflação acarreta impacto financeiro na fase ativa e principalmente na aposentadoria.

Não podemos desconsiderar o impacto da inflação em nossas vidas. Uma aposentadoria bem-sucedida precisa levar em consideração o efeito da inflação. A faculdade dos filhos, o preço do carro, alimentação, lazer, viagens, tudo irá subir. A sua renda aumenta no mesmo ritmo que a inflação? Esse questionamento serve para você que hoje consegue poupar dinheiro. Mesmo que consiga poupar 50% da sua renda, não significa que sua aposentadoria estará garantida. No artigo sobre juros reais falaremos sobre isso.

A inflação é o aumento generalizado dos preços e vem de uma lei universal: a lei da oferta e da demanda. Essa lei funciona em todo lugar, inclusive na sua profissão. Portanto a inflação não é culpa exclusivamente de um governo e sim de todos nós. O consumismo acelera a inflação.

De onde vem a inflação? Inflação pode ter uma série de causas – entenda as principais no link a seguir:

http://estaticog1.globo.com/2013/05/inflacao/page4/images/006GraficoPqOsPrecosSobem.jpg

O Banco Central é uma autarquia de um país ou nação vinculado ao governo, com certa autonomia dependendo do Estado em questão, e que tem papel importante no sistema financeiro de um país.

No site do Banco Central Brasileiro percebemos a missão.

O dinheiro é um produto e sofre interferências de acordo com a inflação e  pode perder valor ao longo do tempo.

Você entenderá mais sobre economia e dinheiro assistindo o documentário A Ascensão do Dinheiro. Ao assistir esse, perceberá que o mundo é o mesmo e continuará sendo. Aprender os fundamentos básicos irá lhe ajudar a compreender o passado, presente e futuro de forma clara. Você entenderá sobre a essência da economia, crise, oportunidades, charlatões. Que imóveis podem não ser os melhores investimentos, que títulos públicos são as aplicações mais seguras de uma país e muito mais. Abaixo o link do documentário.

 https://www.youtube.com/watch?v=LPnn2OBYIRY&list=PL0VcnQ92XNVYQatJF5bBZIhmoOl2j7kgs

A inflação está no seu dia a dia e nos meios de comunicação. Não é assunto restrito a economista e sim de todos nós, nosso presente e futuro.

https://globoplay.globo.com/v/2586919/

https://globoplay.globo.com/v/5081369/

Existem vários índices de inflação, os principais são:

IGP-M (Índice Geral de Preços Mercado): verifica preços do comércio no atacado, no varejo e na construção civil, pesquisados entre o dia 21 do mês anterior e 20 do mês de referência. É usado na correção de contrato de aluguel e tarifas de serviços públicos.

IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo): calculado pelo IBGE, aponta mensalmente a variação do custo de vida médio de famílias com renda entre 1 e 40 salários mínimos das 11 principais regiões metropolitanas do país. Os preços são coletados em mais de 28 mil comércios visitados pelos pesquisadores.

O governo brasileiro adota o IPCA como o índice oficial. Nesse artigo não queremos dizer que o IPCA é o melhor índice que representa melhor a inflação. Assim como acreditamos que CDI é o melhor parâmetro para medir as aplicações financeiros e assim podemos compará-las. Utilizaremos o IPCA que é um índice que amplamente comentado na economia, nos jornais e demais meios de comunicação.

Como é feita a pesquisa de inflação?

https://globoplay.globo.com/v/2588324/

http://estaticog1.globo.com/2013/05/inflacao/page2/images/003GraficoComoCalculamInflacao.jpg

A inflação no seu bolso: Ao longo dos anos, a alta de preços foi reduzindo o poder de compra do dinheiro.

http://estaticog1.globo.com/2013/05/inflacao/page3/images/004graficos_inflacao_produtos.jpg

Atenção: Não acredite na fala de muitos profissionais de finanças pessoais que recomendam poupar de 10% a 20%. Costumo dizer para meus clientes que poupar não é o suficiente. Nosso dinheiro precisa ser aplicado em algo que renda acima da inflação. Caso contrário, o valor poupado não será suficiente.

No próximo artigo falaremos sobre juros real, ou seja, a rentabilidade real já descontada a inflação.

Reiteramos que a melhor estratégia para previdência complementar é aquela que gere maior reserva financeira, pois o benefício virá dessa reserva.  O cálculo para a formação da reserva precisa levar em consideração a inflação.

O Fórmula da Aposentadoria Premium é uma metodologia que busca a forma eficiente de formar a maior reserva financeira, a partir do que você se propõe ou pode poupar. A medida que você for avançando, entenderá o método. Imagine cada artigo como uma peça de um quebra-cabeça.

Onde encontramos o IPCA?

Encontramos o valor oficial no site do banco Central: www.bcb.gov.br.

Até o próximo artigo.